24.4.08

Hora de trocar o disco (?)

Não é nenhum pouco surpreendente a comoção popular diante do caso Isabella. Chega até a ser natural algum tipo de manifestação em sinal de repúdio diante deste tipo de atrocidade. Não obstante, vale lembrar que essas ações – pichações, faixas de protesto, grupos irados ao redor da moradia do casal indiciado, tentativa de apedrejamento – não irão mudar o fato triste da morte daquela criança. Claro, isso tudo vai agravar a situação do casal diante do Júri, uma vez que este será formado por representantes do povo.

Diante de tudo isso, veio à minha mente um pensamento: por que o povo não se mobiliza com a mesma intensidade para manifestar seu repúdio diante de fatos que expõem a corrupção política? Por que não há a mesma intensidade de movimentação quando descobrimos quem um indivíduo como o Renan Calheiros (já se esqueceu dele?) é um pilantra que precisa ser punido pelo seu maucaratismo?

Aí, sim, a situação poderia ser alterada, poderíamos mudar o curso do rio através de nossos protestos e indignação ativa. Imaginem quantas pessoas morrem no Brasil como conseqüência da falta de estrutura básica em hospitais, quantos não adoecem gravemente por não possuírem condições adequadas de habitação, quantos e quantos padecem de fome, desemprego, analfabetismo e suas conseqüências, e tudo isso devido à má utilização da máquina pública.

Nós sabemos bem o que ocorre quando o ser humano é privado de seus direitos fundamentais. Grande parte dos males existentes em nossa nação seria remediada se houvesse honestidade e diligência no trabalho dos políticos.

Não estou desmerecendo os protestos que temos visto na televisão nestes dias. Não é isso, mas para falar fracamente, acho que já é hora de tratarmos de outros problemas. Afinal, qualquer pessoa de bom senso sabe que o casal indiciado já está condenado antes mesmo de ir a Júri. Ainda que houvesse uma chance mínima de serem absolvidos, diante de tanta movimentação popular, qual dos jurados teria coragem de votar em favor deles?

Pois bem, que tal gastarmos nossas energias com outras questões?

4 comentários:

Vinícius disse...

Oi Humberto,

é triste mesmo como não há a mesma comoção para tragédias estrturais coletivas. Mas a frieza de um crime desses contra uma menininha assusta bastante.

Um exemplo é o seguinte: desmatar por falta de planejamento ou simplesmente se dar ao trabalhod e cortar uma árvore à toa, por simples idiotice e ausência de bom gosto paisagístico (acontece muito).

Ah! vi que vc colou um trecho do Rilke abaixo. Já viu aquele texto dele "Histórias do Bom Deus"?

abraço!!

Vinícius

Humberto Ramos disse...

Olá, meu caro!

Confesso que tive receio de que as pessoas pensassem que eu estou menosprezando o caso Isabella. Não, de forma alguma. Minha comoção foi a mesma que a que tive em relação ao caso João Hélio.

Contudo, é como você falou. Nossa sociedade não se dá conta dos pecados estruturais que ela tem cometido, ou permitido que sejam cometidos. É isso que eu tentei passar...

Não conheço este texto do Rilke. Se puder, disponibilize-o para mim (no sei blog ou via email).

Abraços!

Vinícius disse...

Oi,

tem no meu blog no link "livros" (margem esquerda). Tem dois contos: "História do Pai Pródigo", acho que completo, e um trecho de "Queda e Trindade". Este último em especial é lindo...

abraço cara!!

Vinícius disse...

corrigindo: na verdade o segundo conto se chama "Conto das Mãos de Deus"; "Queda e Trindade" foi o título que coloquei no post.

abraço!

Related Posts with Thumbnails