2.2.09

A Teologia e o esterco

Esterco, se não servir para adubar a terra não presta, apenas fede. Teologia é assim também, se não servir para fertilizar os corações e a vida dos homens, não presta. Torna-se morta. Excremento do intelecto.

É assim que é; simplesmente assim. Só para esclarecer melhor as coisas, vamos continuar a conversa.

Pois bem, gosto de falar de teologia, de ler e escrever sobre; assim como tenho imenso prazer em discutir uma infinidade de coisas e assuntos numa boa roda de conversa.

Acontece que idéias não são nada sem que pessoas dispostas resolvam encará-las e encarná-las, isto é, torná-las concretas. Teoria sem aplicação prática não oferece demonstração convincente da validade do que se está teorizando.

Daí acontece de tal maneira: alguns falam do papel da teologia na libertação das classes oprimidas, dos pobres e marginalizados (Teologia da Libertação); outros, da importância de um pensamento teológico que compreenda o ser humano em sua integralidade (Teologia da Missão Integral); outros retomam o tema da poderosa ação sobrenatural de Deus por meio dos dons espirituais (Teologia Pentecostal); há também os que enfatizam a Soberania de Deus (Teologia Reformada); e por aí vai. É claro que estou simplificando demais e que estas teologias merecem uma conceituação mais detalhada e profunda, que compreenda todas as suas nuances.

Contudo, a idéia que tenho é que enquanto teologamos, estudamos os fenômenos sociais, a ação do pecado na humanidade, os pecados político-socio-estruturais de um povo, a pobreza e a miséria dos homens, eles continuam lá. Eles não se emancipam da sua condição nem são libertos do mal que lhes aflige, seja ele qual for!

Fazer teologia sem fazê-la praticável e praticada é algo semelhante a observação de cobaias em laboratório para satisfação de mero interesse de descrever a situação e os comportamentos do ser examinado em tais circunstâncias.

Jesus não era assim. Observava, sentia as situações, as reais necessidades das pessoas e agia. Ia direto ao ponto central do problema.

Não é à toa que suas palavras permanecem. Onde quer que são praticadas, ali há restauração e vida.

Gosto de plantas; e esterco é sempre muito importante, mas na terra... gerando vida!

2 comentários:

Descanso da Alma disse...

Isso me faz lembrar a conversa de Jesus com Nicodemos, que cheio de Teologia queria bajular Jesus e o Mestre foi curto e grosso com ele, Deves nascer de novo. E Jesus mostrou o que significava isso, em sua postura prática, assim como no seu texto acima sobre a epístola de Tiago, os teologos não gostam dele, justamente porque tal qual o Senhor, ele é curto e grosso, não tem meio termo, se tens fé, faça não teorize. Como Paulo afirma, fomos criados para as boas obras e não para a teologia, pensar é de extrema importância, mas sem o estender a mão em direção ao oprimido, não é nada.

Muito bom o texto, que Deus te abençoe, vou adicionar seu blog ao meu.

Abraços em Cristo.

Humberto Ramos disse...

Thiago, fico feliz por sua visita!

Rapaz, é sempre prazeroso encontrar pessoas com quem podemos comungar as idéias.

Seja sempre bem-vindo ao blog.

Graça e paz!

Related Posts with Thumbnails