21.7.09

A benção da dúvida

A dúvida é uma benção. Uma benção sem a qual não há crescimento. Ela é o fator impulsionador que leva ao conhecimento. Gera o aprendizado.

Duvidar é ser sadio. Aqueles que não possuem um espírito inquiridor, além de correrem sérios riscos nesse mundo selvagem, transformam-se em crédulos. Entregam-se facilmente a tolices, superstições e falácias. Acabam por se tornarem marionetes nas mãos dos astutos dessa vida.

Talvez a fé tenha seu início na dúvida, como no caso de C. S. Lewis, que de ateu ferrenho passou a fervoroso defensor da fé cristã.¹

Tomé também duvidou, de forma sincera, pelo que podemos perceber nos evangelhos; e sua dúvida culminou na restauração de sua fé.

Acredito que toda dúvida honesta, que tem por pano de fundo o desejo de aprender, será dirimida diante daquilo que se busca. Conduzirá aos oásis reservados aos peregrinos que desejam crer sem ressalvas.

Não obstante, a dúvida pode ser doença. Um câncer maldito que atinge a alma da pessoa. Assim acontece quando a dúvida é, na verdade, certeza travestida de questionamento. Inquirição inquisitiva (aos moldes da Santa Inquisição), que não quer realmente saber – deseja apenas rechaçar, desprezar as afirmações alheias, demonstrando que, para aquele que duvida (sem na verdade duvidar, pois é dono de todo conhecimento), o pensamento do outro não interessa.

A dúvida pura não é assim. É honesta e possui em sua essência um forte desejo de saber mais, é responsável pela ânsia da comunhão de idéias. É inteligente e humilde, sincera e amável.

A dúvida impura, falsa, dúvida-certeza, que advém da inflexibilidade matemática de uma mentalidade lógica – apenas lógica – não considera o privilégio do saber com o outro, mas apenas o saber acima do outro, além do outro, mais que o outro. É deplorável!

Duvido, logo aprendo. Duvido desejosamente, querendo adquirir o que alguém possui e até então me é desconhecido. Pergunto, questiono e contraponho, até ser convencido. Por duvidar, não desprezo quase nada. Posto que duvido esperando acreditar. Duvido não duvidando que até mesmo minhas certezas podem ser contrapostas e vencidas.

Conquanto duvide, creio fortemente. Conquanto haja em mim espaço para a dúvida, mais espaço há para a fé. Ouço e recebo; recolho e aceito o que me é saudável e edificante; desprezo o que não convém. Garimpo até achar as pepitas de ouro que só o questionamento pode me fazer encontrar.

¹- Sobre a caminhada de fé de C.S. Lewis, ler Surpreendido pela alegria, Editora Mundo Cristão.

3 comentários:

Fábio de Souza Mattos disse...

E ae Humbertóvisk... hehe... kra, mto interessante o que vc escreveu!
... comumente tenho mtas dúvidas... e sobre mta coisa!!! rsrsrs...
Mas em relação ao texto, fico intrigado como essas coisas acontecem. Sabe, já me questionei, inclusive, sobre a existência de Deus (vc deve saber que a Biologia questiona mto essas coisas, né!). Essa foi uma dúvida que me deixou bem abalado na época, kra! Pq ela tira um pouco do sussego e das suas certezas! rsrsrs... ñ sei se vc vai entender isso!!!
Mas o tempo passa e ñ adianta... só após a dúvida é que se pode ter uma resposta.
Penso que essas verdades incondicionais, mtas vezes, são traiçoeiras. Elas podem nos pregar grandes peças, se dermos atenção à elas!
Nosso mundo é repleto de diferenças. Para se viver bem, e ter obter algum (bom) resultado com os nossos propósitos, temos que saber ouvir, duvidar, refletir e retratar,com humildade, tudo que nos cerca.
Acredito que isso tudo acaba convergindo numa simples palavra "respeito".
Bom, essa foi a (longa... rsrsrs) reflexão que fiz ao ler seu texto.

Gde abraço pra vc, kra!

Humberto Ramos disse...

Fábio, meu brother

Muito me alegra sua visita ao blog.

E mais ainda que tenha gostado e compreendido o texto. Tentei ser mais claro o possível.

Infelizmente, o que me levou a escrevê-lo foram as experiências um tanto desconfortáveis que sempre tive com pessoas que pensavam diferente, e impõem suas idéias de forma intolerante.
Respeitar as diferenças é o caminho para se ganhar o respeito até daqueles que rejeitam fervorosamente nossas idéias.
Abração.

Fábio de Souza Mattos disse...

Sim!
com certeza... esse é o caminho, kra!
Gde abraço

Related Posts with Thumbnails