9.7.09

Que Rei é esse?

Toda essa movimentação em torno dos 50 anos da carreira de Roberto Carlos trouxe-me algumas indagações muito instigantes.

É indiscutível o gosto de muitos brasileiros pelas canções de Roberto. Cresci ouvindo meus pais cantarem suas canções, comentarem sobre a Jovem Guarda e suas músicas dançantes.

Particularmente, nunca gostei da voz do Rei. E na verdade, nunca entendi esse suposto reinando.

Rei do quê? Quem coroou? Rei desde quando e de onde?

Acho que cada um terá sua resposta após os questionamentos que agora vou tecer. Onde esteve Roberto e a Jovem Guarda no período da Ditadura Militar? Por que não encontramos traços de resistência em suas canções? Quem de fato o entronizou como Rei?

Podemos até não ter refletido sobre tais perguntas, mas todos sabemos que enquanto Chico Buarque, o pessoal da Tropicalha, os cantores da Bossa, se manifestavam e, ao mesmo passo, eram perseguidos pelo Regime Militar, a Jovem Guarda estourava com seus sucessos.

Numa entrevista a Isto é em 2006, o Tremendão Erasmo Carlos responde a tal indagação da seguinte forma: “A juventude engajada estudava, fazia faculdade. Nós não, ninguém tinha estudo. Lá em casa só entrava o Jornal dos Sports. Éramos pobres, preocupados em ter um teto, arrumar comida, não havia tempo para nos engajarmos. Isso era para os bem-nascidos, os bem informados, que não tinham outro tipo de responsabilidade.” (Entrevista completa aqui).

Resposta convincente?...

Passemos a outra indagação: que Rei é esse que se submete de forma tão subserviente a uma emissora de TV? Ora, pra quem não sabe, a Globo tem exclusividade ante ao cantor Roberto Carlos. Por isso não o vemos em outras emissoras, por isso os eventos em sua homenagem são televisionados tão somente pela emissora global e também por isso o site do Rei é alojado no domínio globo.com.

Vemos aí um Rei dependente (vassalo talvez?).

Não tenho como não pensar que o Rei e a Jovem Guarda, no mínimo, foram um tanto convenientes ao Regime Ditatorial como também constituíram um projeto das organizações Marinho. Ou seja, tal reinado é mera criação midiática tendo como objeto de entronização um homem de talento, Roberto Carlos, e seus amigos fiéis, a nobreza deste reinado.

Não quero suscitar nenhuma espécie de teoria conspirativa, apenas incitar a reflexão diante de uma comemoração que tem sido lançada em nossas casas e acerca da qual nada se tem dito em contraposição. É sempre oportuno equilibrar a balança...

Uma coisa é certa, independente da legitimidade de um Rei e seu reinado, Rei é Rei. E todo aquele que ousa alçar críticas à majestade é tido como insubmisso, infiel e rebelde.

No final das contas, vamos percebendo que a história é feita de “detalhes”...

__________________

Leituras correlatas:

O Rei Roberto Carlos e a Ditadura
A postura evangélica frente à ditadura militar
Revirando o passado da Igreja Protestante brasileira

6 comentários:

deuseamenina disse...

Sabe o que é que eu fiquei pensando? Meio século... Meio século e os brasileiros não enjoaram de ouvir a mesma coisa? Por que ele só rumina sobre as mesmas melodias e arranjos há anos... Será que não apareceu nada de interessante nesses últimos 50 anos que valesse a pena ser ouvido?

Bia - Deus e a Menina

Humberto Ramos disse...

De fato, todo ano a mesma coisa, todo fim de ano mais do mesmo.

Se não fosse o vínculo dele com a Globo, a coisa seria bem diferente, está na cara que esta emissora é o sustentáculo da carreira do Roberto.

Dany disse...

Muito boa a reflexão, Humberto!
A Rede Bobo faz milagres!! 50 anos das mesmas músicas, mesmos arranjos, mesmo serviço a uma única emissora.
E não é só sobre o "Rei" q a gnt tem q questionar não... E as barbaridades que só indignam a sociedade qdo é transmitida e sensacionalizada (se é q existe essa palavra rsrs) pela Globo?

Vamos parar pra pensar um pouuinho de vez em quando no que a TV tem jogado nas nossas salas.

Humberto Ramos disse...

Dany,

Obrigado pela visita.

É isso mesmo. Precisamos ser mais críticos, não aceitar gratuitamente tudo aquilo que nos lançam direto da telinha.

Acho que essa é a vantagem dos blogs nos dias de hoje, a gente pode criar uma corrente virtual que se propõe a atuar como mentes ativas e pensantes nesta nossa sociedade tão passiva.

Beijo.

Leo_Kierkgaard disse...

tudo na paz Humberto.

realmente toda essa repercussão, tb me fez refletir sobre esse título de Rei e essa babação em cima do Roberto Carlos.

Assistindo ao globo repórter, achei interessante uma imagem, onde mostrava uma letra de uma música do Roberto Carlos com um carimbo de vetado, feita pela censura militar. A globo, com isso, buscava amenizar todas essas críticas em relação ao Roberto Carlos e a jovem guarda sobre uma provável contribuição ao sistema da época.

mas uma coisa pra mim fica clara, O "Rei" lavou as mãos e preferiu assistir tudo de camarote e se omitir de uma posição dura contra o regime militar e com isso teve benefícios em sua carreira.

um abraço cara

Leonardo

Humberto Ramos disse...

Meu grande brother Leo,

Tendo em vista que você é um estudante da história, fico mais tranquilo em relação aos meus questionamentos.

Até mesmo porque minha pesquisa foi um tanto limitada e resolvi gerar mais questionamentos que afirmações, a fim de corroborar com a reflexão.

Rapaz, temos que refletir sempre para não comprar gato por lebre.

Posso até comprar algum gato nessa minha vida, mas quero ter a certeza de que é mesmo gato - ainda que eu preferisse lebre.

Devo ir para Pouso Alegre em breve! E, claro, vou dar uma passada na sua casa.

Saudades muitas, meu amigo!
Abraço

Related Posts with Thumbnails