31.8.09

Disciplina eclesiástica: Tô Dentro!

Se porventura eu fosse alvo de disciplina eclesiástica -- e levando em consideração o fato de que raramente se disciplina alguém por pecados diversos daqueles que envolvem o sexo --, logo sendo mencionado a todos os motivos pelas quais esta se deu, não me furtaria em requerer aos nobres irmãos que pudesse me pronunciar a respeito. Esse pronunciamento seria mais ou menos assim:


***


Queridos irmãos,

Diante de todo burburinho que obviamente surgirá em referência à decisão dos ilustres líderes desta comunidade de fé, senti-me movido a me pronunciar.
Desde já lhes gratifico pela complacência de cederem a mim a palavra.

Começo agradecendo pelo tratamento ao qual serei submetido, comenta-se que será algo terapêutico e que a palavra disciplina deve ser entendida como cuidado. Estou muito grato também porque, desde o aviso público, todos já sabem que faço parte de um seleto rol de pessoas descobertas em suas mazelas pessoais e que agora serão acompanhadas por respeitados irmãos a fim de serem reerguidas.

Assim, entendendo todo o benefício e caráter restaurador desta prática, quero agora, de púlpito, convidar a todos os meus queridos irmãos que também sofrem com algum tipo de pecado a se juntarem a mim.

Não citarei nomes, porém cada um em seu íntimo reconhecerá a destinação do convite pela referência ao pecado mencionado.

Com todo respeito, sugiro que se disponham voluntariamente à disciplina da igreja os caros irmãos dados à pornografia. Sim, meus amigos, vocês que visitam toda sorte de sites na internet, mergulhando-se na luxúria oferecida e em todo tipo de sexo virtual disponível neste tipo de mídia; juntem-se a mim!

Chamo também aos irmãos que não se agüentam quando caminham na rua, e de forma tão discreta e imperceptível, cedem ao desejo lancinante de fitar os olhos nas nádegas das jovens que encontram a cada esquina.

Convoco, impreterivelmente, pois tal oportunidade se me apresenta como momento ímpar, a todos os devedores de carteirinha, que já estão com seus nomes no SCPC e SERASA; aos futriqueiros e futriqueiras de plantão, que não se contêm em descobrir pecados alheios sem fazer o papel de imprensa eclesiástica nos moldes mais sensacionalistas; aos mentirosos incorrigíveis, quem necessitam sempre de uma dose de invencionice a fim de ter prazer na vida; aos cobiçadores, aos rancorosos... Juntem-se a mim!

Convido você, que agride sua esposa, verbal ou fisicamente; aos que não conseguem perdoar, aos que desejam o mal, aos orgulhosos, aos que se embebedaram com a soberba e com o fascínio do poder...

Enfim, convido à igreja para que se entregue ao poder terapêutico da disciplina e nos tratemos todos mutuamente, em amor misericordioso – abandonando toda a hipocrisia que, por um acaso, exista em nosso meio.

Só não convido aqueles que, de tão santos e entregues à vida religiosa, já não se encontram com qualquer espécie de pecado. Vocês, excelentíssimos, estão excluídos desta chamada.

Mais uma vez, obrigado pela oportunidade. Graça e paz!

6 comentários:

Gabriel Brisola disse...

Sempre genial!
Se fosse avaliar pelo quesito malha fina, a igreja, como pessoa jurídica, iria inteira pra disciplina! hehe
Sou 100% contigo nesse post. Alias, já presenciei casos escabrosos em relação à "disciplina" eclesiástica. Um absurdo e hipocrisia sem cabimento. Ah, se os pastores se adequassem à palavra e não o contrário, as coisas seriam muito diferentes. Melhor ainda, se ao menos cuidassem, coisa que o presente século faz até melhor quando se trata de pessoas marginalizadas. Moralidade burra essa das igrejas.

Grande abraço!
Gabriel Brisola

Anderson disse...

Assino embaixo.
Na igreja, já há muito tempo impera uma visão de que tudo que tem a ver com a sexualidade é pecado. É interessante também notar que, de todos os pecados, o único tipo que merece ser considerado uma "queda" é o de pecados sexuais. Por isso, na linguagem comum dos crentes, quando se diz que alguém "caiu" é pq provavelmente o infeliz transou em desconformidade com os preceitos bíblicos...

Anderson
gracasomente.blogspot.com

Danilo Fernandes disse...

Direto ao ponto sem hipocrisia!

Jonathas Acácio disse...

Mais uma vez concordo totalmente com você, a igreja é o único hospital que, quando os usuários, estão doentes, indo para a UTI, são jogados na sarjeta, principalmente se cometem um “crime” contra a “moral” sexual dos “santíssimos”. Devemos sempre lembrar de “tirar a trave, para depois tirar os ciscos dos olhos alheios”. Eu sou um grande pecador e devo muito a meu Deus, e somente por suas misericórdias, não sou consumido, e igualmente a Lutero oro diariamente implorando: Pai, salva-me, pois sou teu!

Humberto Ramos disse...

Caros,

Obrigado pela vistinha.

Abraço!

Dany disse...

Brilhante!!

E sabe o que mais me incomoda, pra não dizer revolta, é que a liderança insiste em pregar a não existência de diferenciação entre pecados, que todo e qualquer tipo de pecado deve ser tratado da mesma forma, pela disciplina. Mas porque só se disciplina os membro que cometem pecados sexuais????

Seu texto é uma ótima reflexão sobre a nossa hipocrisia e farisaismo...
Que Deus nos discipline de verdade!!

Fica na Paz!

Related Posts with Thumbnails