28.9.09

Culinária, um dom divino

Um dia desses eu conversava com um sujeito, um cara legal mas de visão muito tacanha. Daqueles que ainda acham que o homem é dono da mulher e que a palavra marido traz consigo a prerrogativa de mandar na parceira. Daí entre uma e outra varada n’água, ele soltou o que pensa sobre homem cozinhar.

Já posso te adiantar que não lhe causava admiração alguma homem na cozinha. E mais: como bom machista, tal lugar – a seu ver – é reservado para as mulheres. Ele cozinhando?, nem pensar... seria um demérito.

Meu pai foi chefe de cozinha, e hoje não sendo chefe de nada continua a cozinhar – divinamente, diga-se de passagem. E ele foi versado na cultura mineira, então imagine só os pratos que faz.

Eu mesmo nunca havia tentado fazer prato algum. Até que saí de casa para viver só em outro Estado. Pois bem, quando essas coisas acontecem a gente aprende que nem todos gostam daquilo que a gente gosta, que nem todos se dispõe a nos agradar, e que quando tentam... nem sempre conseguem. Conclusão, temos que aprender a fazer nossos próprios cardápios. (Ah, e vale ressaltar o que muita gente já sabe, comida de restaurante não é tão saborosa quanto comida caseira – com raras exceções).

Agora tenho aprendido um e outro prato. Só cozinho coisas simples, fáceis de se fazer e que não me tomem muito tempo, afinal o tempo é curto. Contudo, tenho descoberto a magia da culinária, e o prazer de terminar o preparo de uma refeição e poder agradecer a Deus por ela, sabendo que fui eu mesmo que fiz. Até nisso exercemos o papel de cocriadores junto ao Criador.

Talvez o que não entre na cabeça do cara que mencionei no início desse nosso papo seja o fato de que aquele que cozinha, na maioria das vezes, não o faz só para si mas também para outros. O que o torna servo daqueles a quem ele atende com seu trabalho, seja ele remunerado ou não.

Eu não tenho problema com isso, muito pelo contrário. Sou daqueles que ouviram as palavras de Jesus e pensam que ela faz muito sentido, e a respeito disso ele mesmo falou que “aquele que quiser ser maior dentre vós, seja servo de todos”. E mais: não sei de onde Deus tirou a receita do Maná, mas ele caprichou, porque não há um só registro de reclamação do povo hebreu sobre este alimento dispensado por Ele a seu povo no deserto.

Logo se vê que os bons cozinheiros têm a quem puxar...

4 comentários:

Renata disse...

Oiiii... DEMAIS! Amei! Não sei se pelo fato de ser uma nutri, ou por achar o máximo homens na cozinha! rsrsrs... Deus os abençoe!!!

Humberto Ramos disse...

Oi, Renata!

Legal ter você por aqui.

Obrigado pelo comentário.

Abraço.

Gérson Vagner disse...

Rapaz! Hoje mesmo estava refletindo sobre culinária. Não sou um chef, mas gosto muito de gastar horas na cozinha. Hoje ainda preparei um prato super simples, mas leve e nutritivo.
Conheci hoje seu blog e já admirei. Articula muito bem as palavras, e torna uma benfeitoria os atos considerados simples.
Que Deus o abençoe neste caminho!

Abraço poético!

Humberto Ramos disse...

Gérson,

Que gostoso ler seu comentário. Porém, com tantos elogios, acabo ficando sem graça... rsrs

De qualquer maneira, obrigado pela visita. Seja sempre bem-vindo!

Abraços fraternos!

Related Posts with Thumbnails