24.2.11

Ciência + Fé


Gostei muito da síntese que o pastor Gladir Cabral fez da disputa existente entre Ciência e Fé no que diz respeito à Criação. De fato, não se faz necessário tratar essas duas coisas como eternamente incompatíveis.
Big-Bang

A origem do Universo é foco de inúmeras controvérsias , mas dizem que tudo começou num imenso Big-bang. Contudo, é difícil conciliar a visão explosiva e destrutiva de um “big-bang” com a harmonia e a ordem da Criação como é apresentada no livro de Gênesis.

A linguagem poética do Gênesis não tem a precisão científica das modernas teorias a respeito da origem do Universo, nem poderia, pois há uma enorme diferença cultural e histórica entre os registros bíblicos e os registros científicos atuais. Entretanto, as novas teorias, por mais sérias que sejam, não têm a beleza da narrativa bíblica. A Bíblia e a ciência apresentam-nos pontos de vista e discursos diferentes a respeito do mesmo mistério: a origem do mundo. A ciência nos diz como as coisas aconteceram, ou como presumivelmente devem ter acontecido. A Bíblia nos diz por que e para que o mundo foi criado.

Deus foi sábio em preferir a linguagem poética e não a científica. A linguagem científica é precisa e detalhada, mas torna-se obsoleta rapidamente. A linguagem poética permanece. Quando Drummond falou que “no meio do caminho tinha uma pedra”, não esperava que um grupo de arqueólogos viesse para levar a pedra e fazer um teste de carbono 14. Isso mataria a beleza do poema, o mistério.

Pense:

O belo, o que não se pode perder de vista, é que Deus criou o mundo com ou sem o Big-Bang.

Gladir Cabral, Cada Dia, (Edição Especial Coração de Estudante). 

2 comentários:

Felipe disse...

Precisamos de mais ministros assim. como o pastor Gladir Cabral.

Humberto Ramos disse...

Felipe, concordo contigo.

Mas já me alegro pelos poucos que há.

Abraços!

Related Posts with Thumbnails